quinta-feira, 5 de julho de 2007

Sinto tanto, tanto, a tua falta

Eu fui devagarinho, com medo de falhar,
Não fosse esse o caminho certo para te encontrar,
Fui descobrindo devagar cada sorriso teu,
Fui aprendendo a procurar por entre sonhos meus.

Eu fui assim chegando, sem entender porquê,
Já foram tantas vezes, tantas assim como esta vez,
Mas é mais fundo o teu olhar, mais do que eu sei dizer,
É um abrigo pra voltar, ou um mar pra me perder.

Lá fora, o vento, nem sempre sabe a liberdade,
A gente finge mas sabe o que não é verdade,
Foge ao vazio, enquanto brinda, dança e salta,
Eu trago-te comigo e sinto tanto, tanto, a tua falta!

Eu fui entrando pouco a pouco, abri a porta e vi,
Que havia lume aceso e um lugar pra mim,
Quase me assusta descobrir que foi esse sabor,
Que a vida inteira procurei entre a paixão e a dor.

Lá fora, o vento, nem sempre sabe a liberdade,
Gente perdida balança entre o sonho e a verdade,
Foge ao vazio, enquanto brinda, dança e salta,
Eu trago-te comigo e sinto tanto, tanto, a tua falta!

Lá fora, o vento, nem sempre sabe a liberdade,
Gente perdida balança entre o sonho e a verdade,
Foge ao vazio, enquanto bebe, dança e ri,
Eu trago-te comigo, e guardo este abraço... só pra Ti.

Gente perdida, Mafalda Veiga

3 comentários:

Cookie disse...

Não conhecia o teu cantinho kakau
(Irei lêr os posts anteriores)

Raio das insonias .. nao consigo dormir.. então resolvi ver (dos que escrevem no chatdevida) quem tinha blog ..e cá estás tu. ehehe

Continua a dar vida ao teu cantinho.

Beijo *

Jasmim disse...

Lindo, lindo...
Ás vezes achamos que é mais facil fazer de conta...
Tentamos esconder até de nós mesmos a realidade, sentimo-nos sós? Não!! Nada disso, eu só??
Quando na verdade no meio de uma multidão nos sentimos tão sozinhos!

Beijinho doce, minha querida

Jasmim

kakauzinha disse...

cookizinha, obrigada pela visita, aqui poderás conhecer a outra face da kakau, sempre com um toque irreverente mas muito mais calma.

Bijujinhos :)********


Jasmim, minha querida amiga, costumo dizer que a Mafalda Veiga exprime o que sinto de forma poética, já que a mim me falta aquele engenho e arte. Penso que, no fundo, ela é o "espelho" do que nos vai na alma.

E é verdade, sentimos sempre solidão... a falta de alguém... muito... mas vamos fingindo para não doer tanto.

Bijujinhos doces*****