domingo, 17 de fevereiro de 2008

Fogo





Vinho aquecido em fogueiras do inferno…
Fogo diabólico que me arde na alma…
Desejo incandescente como lava de vulcões…
Chama olímpica que teima em queimar-me…
E me prende a labaredas de infindas ilusões…





...{ * }...




Por mais que me esconda volto ao teu feitiço…
Serpente venenosa ondeando em mim…
Asfixiando-me todas as vontades…
Vou vingar-me de ti sem dó nem piedade…
Gravar o meu nome em brasa na tua mente…
E acender no teu corpo os lumes de todos os universos…

















3 comentários:

Maria Clarinda disse...

Adorei as tuas palavras, fiquei a pensar nelas...as imagens expectaculares.
Jinhos

Gui disse...

Ai...ai...ai, que temos aqui uma diabinha...de sonho. Gostei, "Satanázinha". Um beijo amigo

veni_vidi_scribi disse...

Daqui, senti o calor que emana do teu fogo!!! :) Por favor, não te queimes ;)

Beijinhos e boa semana