sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Vestida de Ballet



Um dia de ballet me vesti…
As sapatilhas rasas calcei…
E em passos alegres dancei…
Rainha e senhora de uma plateia…


Um dia em pontas hesitei…
Tentando seguir a mestra…
Gemendo muito baixinho…
Mas lacrimejando de felicidade…
Rainha e senhora da minha vontade…
Desejando mais palcos pisar…
Sonhando ser prima ballerina
E em esvoaçantes tules de neve girar…


Um dia de saltos altos dancei…
Um pas de deux sem fim…
Nos jardins suspensos da Babilónia…
Abandonada à clave de sol do Amor…
Com timbres de eternas promessas…
Simples figurante de um mundo…
Onde só a ilusão era senhora e rainha.




3 comentários:

veni_vidi_scribi disse...

Passei rapidinho
Para deixar um beijinho :)

Bom fim-de-semana

rosa dourada/ondina azul disse...

Vestida de ballet,
tu dançaste e sonhaste !!!

Belo !!!


Beijinho,

Triguinha disse...

Querida titi Kakau: (=)
Amei. O poema tinha mesmo sentimentos! Pratiquei balet durante três anos, e agora relembrei tudo outra vez.

Quando se é criança
Vir ao centro da família
Giro em meia-volta
Sobre minha Sapatilha

Quando se é brinquedo
Me dão corda sem parar
Eu me sinto um pássaro
A voar, voar, voar

Triguinha