sábado, 15 de setembro de 2007

Pai







Quando eu era pequenina tinha um Pai… o meu Papá.

Eu adorava o meu Papá. Quando ele chegava a casa atirava-me ao pescoço dele e cobria-o de beijos, depois sentava-me ao seu colo, contava-lhe o meu dia e o que tinha aprendido no colégio.


Trazia-me bonecas de todos os cantos do mundo e no Natal a sala ficava repleta de presentes. Mas também me ensinou que nem todos tinham a nossa sorte e que era preciso ajudar, dividir e respeitar.



Não poderia ter tido melhor Pai. Ensinou-me muito, deu-me muito, muito amor e muito carinho, protegendo-me sempre e educando-me também com alguma severidade porque as crianças precisam de disciplina.


Quando eu tinha oito anos, na madrugada de 15 de Setembro de 1964, um louco de estrada tirou-lhe a vida…


Dele ficaram muitas e lindas recordações mas estas são as que mais amo… quando me levava ao colégio, a nadarmos fora de pé na Praia da Rocha, vê-lo a galope com o Gaiato e a ensinar-me a montar a Estrelita .. aqui… nos nossos Verões passados no Al-gharb.


Desde essa madrugada eu tenho um Anjo que me protege e a quem agradeço por tudo o que sou.





Aquela triste e leda madrugada,
Cheia toda de mágoa e de piedade,
Enquanto houver no mundo saudade
Quero que seja sempre celebrada.

Ela só, quando amena e marchetada
Saía, dando ao mundo claridade,
Viu apartar-se de uma outra vontade,
Que nunca poderá ver-se apartada.

Ela só viu as lágrimas em fio,
De que uns e outros olhos derivadas
Se acrescentaram em grande e largo rio.

Ela viu as palavras magoadas
Que puderam tornar o fogo frio,
E dar descanso às almas condenadas.



Luís Vaz de Camões




8 comentários:

Um Momento disse...

E eu também um Anjo tenho
Lá no alto eles olham por nós...
Sabes?... Quem sabe o teu Pai e a minha Mãe agora não estejam a falar sobre nós?
A dizer "olha que duas !!"e a dar assim umas gargalhadas :))
:))
Saudade aperta, mas as boas recordações ficam e é com elas que conseguimos superar a sua "falta" fisica.
Pois eles estão sempre no nosso coração, no nosso pensameto, no nosso dia a dia ...
Toma...
Uma flor do campo...
Simples, linda e cheia de Amor
Beijo minha Querida Cinderela mais doce que nunca
(*)
Abraço-nos
[]

Jasmim disse...

Saudade... Essa "coisa" que nos aperta o âmago... Que ao mesmo tempo que nos fustiga é sentida deliciosamente nas recordações, lembranças de momentos em que um dia nos deram tantos sorrisos, hoje... deixamos rolar algumas lágrimas, e quantas vezes não desejariamos que o tempo nos devolvesse o que de nós levou...

Sou uma "felizarda" que ainda tenho o colinho do meu Pai...
Mas tão bem te entendo... Faltam-me outros colinhos que me afagaram de igual forma um dia...

Beijo-te num abraço apertadinho

*

Bouquet disse...

Tenho a certeza que tens mesmo essa estrelinha a guiar-te que é o teu pai!
Tenho certeza que nunca te perderá de vista!
Sinto muito...nestas alturas não sabemos muito bem o que dizer!
Eu digo-te para quando pensares nele olha para o Céu!
Um beijo e um bouquet te ofereço a ti!

kakauzinha disse...

Um Momento,

Minha querida, pois espero que estejam mesmo, eu acredito que sim, que lá estão sempre a olhar por nós e em Paz.

Vou pôr a fedolinha na jarra.

Um abraço grande, um beijo****:))))

kakauzinha disse...

Docinha,

Como fico feliz de ainda teres o colinho do teu Pai, espero que o tenhas por muitos e muitos anos.

E eu continuo a sorrir com as minhas recordações do meu, são tesouros bem guardados.

Beijinho doce pa tu, um abraço muito grande******:)))))

kakauzinha disse...

Bouquet,

Muito obrigada pelas tuas lindas palavras!

Temos de aceitar a vida tal como ela é e guardar os momentos de ouro que tivemos.

Um grande beijinho*****:)))))

Excelsior disse...

...kakauzinha...

...Por.. por motivos óbvios... entre nós, falados... e até algo... visíveis...

...não te será de estranhar que este texto... aliás... o teu Sentir, aqui... me tenha tocado particularmente.

Tive o abraço do meu Pai, a sua saberodia, ponderação, orientação, Amizade e Amor... mais uns anitos que tu...

...e quem me dera que tivesses tido tantos, ou mais, que os meus, com o teu...

...No meu caso... o problema... é que aquele era o Único Abraço que eu aqui tinha...

...e o único que me restou.

Valham-nos as memórias. Não as que nos aprisionam, as que nos LIMITAM... nos deturpam julgamentos...

...valham-nos as memórias que nos libertam...

...valham-nos as memórias que os fazem Presentes, e activos, nos nossos corações... almas...

...para Sempre...

Um beijinho muito grande, amiga... com o máximo de empatia e desejo de Bem que te consiga dar...

*sorriso*

kakauzinha disse...

Excelsior,

Poucos ou muitos anos que os tivéssemos connosco serão sempre lembrados com todo o amor. É uma felicidade termos tido pais que nos deram tanto.

Um beijinho grande também para ti, querido amigo, um sorriso de esperança****:)))))