terça-feira, 11 de dezembro de 2007

A realidade das praxes académicas






“…O estudante da Escola Superior Agrária de Coimbra ferido durante uma praxe, a 28 de Novembro, ficou paraplégico e apresenta algumas alterações a nível dos membros superiores, revelou esta terça-feira à Lusa a directora clínica do Centro Hospitalar de Coimbra (CHC)…
…O jovem, de 20 anos, sofreu esta grave lesão após ter-se lançado, de cabeça, de um escorrega com um desnível de dois metros para um túnel, durante uma actividade de praxe…
…«é possível a recuperação, senão total, pelo menos parcial, da capacidade motora e de alguma sensibilidade» nos membros superiores…”

http://www.portugaldiario.iol.pt/noticia.php?id=891067&div_id=291


Continuamos a ler este tipo de notícias, apesar de todas as recomendações para que cessem estas praxes inventadas por acéfalos. De acordo com o que foi dito na SIC, esta noite, o jovem nem sequer era caloiro, mais uma razão para ter juízo e não dar maus exemplos. E os que entram nas faculdades também deveriam ter mais maturidade para saber destrinçar o certo do errado. Depois as consequências são as que estão à vista e não há respostas suficientes para as explicar.

Em tudo nesta vida é preciso pensar antes de agir, ainda que possamos ser considerados mariquinhas pé-de-salsa, ainda que nos chamem todos os nomes e nos ameacem com exclusão de grupo.

Estou a lembrar-me da minha filha mais nova que se recusou em Gambelas, e muito bem, a lamber degraus e outras idiotices, tendo sido ameaçada depois que nunca poderia usar o traje de finalista nem ir a jantares de grupo! Ora para quem já andou neste mundo académico há mais tempo, e que é o meu caso, sabe perfeitamente que tudo isto é pura invenção destes idiotas que por um desvio perverso de personalidade acabam por induzir os incautos a cometer actos de perfeita loucura. Há brincadeiras inofensivas que se podem fazer mas há actos que transcendem o correcto, que humilham ou que põem em risco a vida dos estudantes, deveriam ser terminantemente proibidos e severamente castigados em caso de desrespeito.

Com tantos avisos nos meios de comunicação ainda me admiro como é que é possível persistirem estes casos e pergunto-me sempre que andam afinal a fazer certos reitores do ensino superior que permitem que nos seus estabelecimentos haja grupos de alunos que deveriam era ser urgentemente transferidos para hospitais psiquiátricos ou para a cela de uma penitenciária! Não serão estes fazedores de praxes uns delinquentes? E será que os Pais destes energúmenos não sabem o que os filhos andam a fazer? Ou será que estão só sentados a babar-se porque as crias vão ter um canudo? Não sei até que ponto vale a pena ter uma licenciatura a par com uma cadeira de rodas… ou pior, enfim…

Há situações na vida que têm de ser tratadas como se de droga fossem… há que dizer pura e simplesmente… NÃO!


11 comentários:

Lu@r disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lu@r disse...

Vejo situações que deixam-me revoltado, mas é preciso coragem de dizer não.

Não faças aos outros o que não queres que façam a ti.

P.S. Apreciei a proposta :)

Beijo Nocturno

Isa disse...

ainda ontem vi fotos de praxes de um colega meu...

acho que tudo tem o seu limite... sem se radicalizar... há que ter civilidade...

enfim... mas é sempre triste nos constatarmos perante factos destes!!!

um bem haja p ti e um beijo ´*`

Triguinha disse...

É um tema um bocadinho assustador, sobretudo para mim...

Concordo plenamente que é uma estupidez, algo sem pés nem cabeça.

É interessante existirem as praxes, sim, mas depende do que se manda fazer! É que uma coisa é dizerem a um caloiro para vestir uma peça de roipa ao contrário, ou para fazer um "almoço" para os mais velhos; outra é deixarem uma pessoa incapacitada para o resto da vida!

Muito recentemente tornei-me uma defensora dos Direitos Humanos, dos Animais, da Criança, ... todos eles; e decidi que vou mudar o Mundo (não me contento com pouco; Não digo todo, mas já ando a moldar os miuditos do quinto ano para serem mais pacíficos. E deixem que diga que estou a ter resultados!

Se pensarmos bem, as praxes e os Direitos Humanos estão muito ligados, portanto, tenciono, quando chegar a minha vez, mudar um pouco essa estúpida mania de torturar os inocêntes!

Beijos com anúncios de mudança
Triguinha

veni_vidi_scribi disse...

Na minha modesta opinião, de quem já foi praxado e já praxou, o problema não está, em si, nas praxes. Está, sim, em quem as pratica, impõe, inventa, comanda... enfim, aqueles que, de traje, se acham no direito de ridicularizar, maltratar, abominar todos os seres, que julgam eles, são inferiores.

Mas, e sublinho o "mas", a maioria dos "Doutores" apenas praxam no intuito de conhecer, integrar, apadrinhar, engatar :p (para os mais convencidos) os ditos caloiros. A praxe, nesse sentido, serve para criar convívio e laços de amizade, tanto entre caloiros, como entre eles e os "Doutores".

É claro que nem sempre a praxe é assim e, alguns, acham-se no direito de possuir o Mundo na mão. O sentimento de poder, força e grandeza, que a praxe lhes transmite, sobe-lhes à cabeça. Detê-los cabe aos Concelhos de Veteranos, Tribunais de Praxe e os próprios colegas que, com eles, praxam.

O que aconteceu em Coimbra, na Escola Agrária, foi um acto irreflectido... mas do jovem que, sabendo de antemão ao que se estava a sujeitar, se atirou, literalmente, de cabeça! Conheço uma série de jovens como ele... que, já não sendo caloiros, gostam de participar activamente nas praxes, por mera diversão. Este, infelizmente, teve muito azar, quando se arriscou numa grande acrobacia...

Enfim, sou pela praxe saudável!!! :)

Beijos praxados (saudavelmente) :P

susana disse...

Pois é minha querida Kakauzinha...continuam a ver-se atrocidades destas em pleno séc. XXI. Não há palavras, a não ser BASTA! Adorei ser praxada, mas tudo tem um limite, até porque a Liberdade de cada indivíduo acaba quando se invade a Liberdade de outro indivíduo. Estas situações não são só vergonhosas, pois não vai valer de nada pedir desculpas...a vida dos jovens afectados pelas praxes mudou radicalmente...e para pior!!! É pena, mesmo pena que as pessoas não cresçam, nem tão pouco percebam que estão a estrapolar todos os limites do razoável. Beijinhos grandes cara amiga.

P.S.: Já tinha saudades de visitar o teu blog, mas o Mestardo não me tem dado muita margem de manobra. Trabalho, estudo e não abdico de todos os minutos de qualidade que possa ter com o meu maridão...é a vida, e como nunca fui pessoa de desistir, hei-de conseguir! Beijo mais uma vez

rosa dourada/ondina azul disse...

Não são as praxes em si, o pior é que hoje em dia, é como se deixasse de haver regras, valores, e há aqueles que pensam que tudo lhes é permitido. E o que começou por ser engraçado, pode resultar em casos como este...


Beijinho p ti,

Um Momento disse...

Ai ai...
Nem me fales minha docinha...
A minha Princesa teve uma semana...
Sinceramente acho tudo isso uma "Fantochada", e pior mesmo é quando suceddem estes "crimes", pois eu considero-os assim...
Em Mirandela houve um ano que as praxes deram imensa polémica , em virtude de levarem os caloiros para o meio do monte a chover, fazerem-nos rebolar na lama... e depois terem que fazer kilometros ... a pé !
Muitos adoeceram...
Enfim...
Deixo um beijo assim bem GIGANTE em tue minha Cinderela de Xiklate e perdoa a ausência de eue( ando assim cadito "desnorteada", mas logo logo volto ao sitio
( acho eu:P)
Xuackssssssssssssssssssssssss
bem aí
(*)

O Profeta disse...

As praxes em muitos casos são uma idiotice...



Convido-te a sentir a magia da minha Errante Nota

Oceano de mil contradições
Amar é uma batalha da emoção
Roubada ao sortilégio do vento
No gesto mágico de uma mão

Bom fim de semana


Doce beijo

veni_vidi_scribi disse...

Venho para deixar um beijo de bom fim-de-semana :)

AnaLua disse...

Isto aqui no Brasil é conhecido como "trote", e da mesma forma já foi causa de graves acidentes e até morte. Uma idiotice!

Beijos querida!